MAX FM COTIA

/maxfmcotia

Publicidade

Está no ar...
MUSICAL
MUSICAL
Com MUSICAL
De 15h00 às 16h00
A seguir...
COMES E BEBES
COMES E BEBES
Com LANA SERRANO
De 17h00 às 18h00
E depois tem...
BANDEIRA 2
BANDEIRA 2
Com REINALDO E MAURÍCIO
De 18h00 às 19h00

GERAL > MÚSICA

Postada em 04/08/2020 ás 13h24 - atualizada em 04/08/2020 ás 13h24
Ecad aponta para “desaparecimento” de 6 mil eventos musicais a cada mês desde o início da pandemia, Jonny Montana e Mariana Gomez comentam sobre; confira
Órgão apresentou desconto para cantores e empresários sobre o recolhimento de direitos autorais
Ecad aponta para “desaparecimento” de 6 mil eventos musicais a cada mês desde o início da pandemia, Jonny Montana e Mariana Gomez comentam sobre; confira

Foto: Reprodução

De acordo com o colunista Ricardo Feltrin, do Uol, o Ecad (Escritório de Arrecadação e Distribuição de Direitos Autorais) calculou que desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março, o país perdeu cerca de 6.000 eventos musicais ou com música mecânica a cada mês. 



Na soma do órgão entram apenas apresentações legalizadas e registradas na entidade em que seriam recolhidas as porcentagens referentes a direitos autorais e de execução. Por conta da paralisação de toda cadeia do entretenimento musical, o Ecad está buscando minimizar o impacto anunciando um desconto no pagamento de direitos autorais para empresários e empresas, que durará até o final de 2021. 



“Nossa, muda tudo. É um trabalho como todos os outros, onde várias pessoas na maioria das vezes são dependentes de outra. Se afeta um, afeta geral. Não é só o cantor que é prejudicado, os músicos, os demais funcionários e as famílias de cada um deles. Fora que nessas horas temos que nos reinventar, descobrir novas habilidades e formas de nos manter”, falou a cantora Mariana Gomez. 



O cantor Jonny Montana ressalta que, além dos 6 mil eventos apontados pelo Ecad, outros milhares de eventos informais e musicais também pararam devido a pandemia, que são números que não entram na conta. “Quanto a essa parte de shows o Ecad está completamente correto, acho que são até mais, porque os informais são bem mais. Os formais que o Ecad deve ter noção, maior controle deve ser isso aí, mas e os informais, de barzinhos? Não entram nessa conta por não estarem cadastrados”, apontou. 



Descontos do ECAD até o final de 2021: 



- Desconto de 50% nos licenciamentos que considerem os percentuais sobre a receita bruta ou custo musical, passando de 10% para 5% (música ao vivo); e de 15% para 7,5% (música mecânica);  



- Terão direito a essa redução os clientes que estiverem em dia com o pagamento de direitos autorais; - Os shows e eventos em caráter beneficente recebem mais 30% de desconto, passando de 5% para 3,5% (música ao vivo) e de 7,5% para 5,25% (música mecânica); 



- No caso de shows de caráter religioso e ingresso com direito a bufê e/ou open bar, e para os promotores que disponibilizarem acesso online ao borderô de bilheteria via "ticketeira", oferecemos uma redução extra de 15%; 



- Não será possível acumular o desconto de 50% para clientes permanentes, e esse valor também não será aplicado a determinados festivais de música e congêneres a partir de valores que estão estipulados nesta ação. 



Para maiores informações, é necessário entrar em contato com as unidades regionais do ECAD. 


FONTE: UOL
PUBLICADO POR: WESLEY ALENCAR (Cotia - SP)

COMENTÁRIOS

VEJA TAMBÉM

Patrocinadores

Programação   •    Locutores   •    Notícias   •    Mural de recados   •    Agenda de shows   •    Clipes   •    Contato

© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium